Companhia Nacional de Bailado vai ter espetáculos para crianças – RTP

A Companhia Nacional de Bailado (CNB) vai passar a apresentar espetáculos para crianças já na nova temporada 2019/2020, num novo projeto intitulado “Planeta Dança”, para divulgar esta arte aos mais novos, segundo a diretora artística, Sofia Campos.

“Este projeto é assumidamente para o público infantil e para as famílias. É um dos eixos que norteia esta temporada, tratar do património coreográfico, da História da Dança”, disse a diretora, em entrevista à agência Lusa.

O “Planeta Dança” vem na linha, que Sofia Campos quer intensificar, de aprofundamento da ligação da companhia nacional ao público em geral, e ao infantojuvenil, em particular, assim como a famílias e escolas.

Nesse sentido, o projeto dedicado à História da Dança – que será coordenado pela coreógrafa da CNB Sónia Batista – irá apresentar espetáculos para crianças durante as temporadas, que abordarão episódios, épocas e técnicas de dança.

Na nova temporada de 2019/2020, o projeto, que se destina a crianças com mais de seis anos, irá acontecer no segundo trimestre do ano, e os dois espetáculos previstos irão circular pelo país, depois de apresentados em Lisboa.

O novo projeto surge no quadro do Programa de Aproximação à Dança, que já existia, com atividades para as escolas, oferecendo ateliers, oficinais e visitas para várias faixas etárias.

De acordo com Sofia Campos, está prevista a colaboração com a Junta de Freguesia do Parque das Nações, em Lisboa, para atividades com as escolas públicas, em que os bailarinos irão às escolas e as crianças terão também programas nos espaços da CNB.

Além desta, haverá uma parceria com o Oceanário e o projeto “Dançar com Parkinson”, através do qual são realizadas aulas de dança para estes doentes, em parceria com a Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Esta iniciativa é inspirada na metodologia desenvolvida pela companhia de dança americana Mark Morris Dance Company/Brooklyn Parkinson Group.

“A missão de uma companhia nacional como esta também é fazer projetos que dão outros espaços e possibilidades à dança”, salientou à Lusa Sofia Campos, que entrou para a CNB há um ano, deixando o cargo de vogal do conselho de administração do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa.

Formada em Dança pela Escola Superior de Dança, em Gestão das Artes na Cultura e na Educação, pela Escola Superior de Educação Jean Piaget, tem um mestrado em Práticas Culturais para Municípios pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Sofia Campos foi diretora de produção e responsável de difusão na RE.AL, estrutura dirigida pelo coreógrafo João Fiadeiro, de 2003 a 2011.

Depois de ter integrado as equipas de produção nos festivais Danças na Cidade em 1997 e 2002, regressou em 2011 como diretora de produção ao então Alkantara Festival.

Enquanto codiretora da Alkantara – associação cultural, assumiu de 2012 a 2014, as funções de administradora e assessora artística.

Ao longo do seu percurso profissional tem mantido contacto regular com diversos teatros e festivais nacionais e internacionais e colaborado com estruturas, artistas e projetos de diferentes áreas artísticas: dança, teatro, artes visuais, vídeo e cinema, ao nível da consultadoria de produção e gestão.

Lecionou Produção em Artes Performativas na Escola Superior de Dança, Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa, Restart e CEM (Centro em Movimento).

Por LUSA via RTP