NOTÍCIAS


CONFERÊNCIA "MOZART E AS ÁRIAS PARA SOPRANO" NO TEATRO CAMÕES
Gazeta dos Artistas




Para o programa Mozart Concert Arias, un Motto Di Gioia de Anne Teresa De Keersmaeker, a Companhia Nacional de Bailado convidou para a conferência associada ao programa, David Cranmer, musicólogo e organista inglês, docente da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, e Massimo Mazzeo, maestro que assegura a direção da orquestra Divino Sospiro, na interpretação das obra de Mozart.

A música de Mozart e em concretas as árias para soprano, que são o mote do programa que marca a próxima estreia da CNB, serão o tema central desta conversa.

Conferências/Conversas
Companhia Nacional de Bailado

Teatro Camões
12 Abr. 2014 | 18h
Entrada Livre

Notícia completa [...]


 

Notícias relacionadas:
    •  CNB DANÇA ÁRIAS DE MOZART NO TEATRO CAMÕES
TIME OUT · A NOSSA ESCOLHA

2011-12-14



A escolha da Time Out: «A maior história de amor de todos os tempos através dos movimentos da Companhia Nacional de Bailado».
 
«ROMEU E JULIETA»
NO TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS

2011-12-02



Depois da reposição em Março de 2011, a CNB volta a dançar em Dezembro, "Romeu e Julieta" no Teatro Nacional de São Carlos, com a participação da Orquestra Sinfónica Portuguesa sob a direcção de Joana Carneiro. Nos dias 29 e 30 de Dezembro apresenta-se no Teatro Municipal de Almada.

Texto DN CARTAZ
Fotografia António Júlio Duarte / CNB



 
DANÇA:
TRÁGICO DESTINO DE "ROMEU E JULIETA"
NO SÃO CARLOS PELA CNB EM DEZEMBRO

2011-11-27



Lisboa, 27 nov (Lusa) - O trágico destino de "Romeu e Julieta", numa coreografia de John Cranko que tem resistido ao tempo, regressa em dezembro a Lisboa, desta vez ao Teatro Nacional de São Carlos (TNSC), interpretada pela Companhia Nacional de Bailado (CNB).


Texto Lusa
- Esta notícia foi escrita nos termos
do Acordo Ortográfico -



 
«A UNIÃO QUE FAZ A FORÇA
TAMBÉM FAZ A BELEZA»

2011-11-05



A abertura da nova temporada da CNB evidenciou o benefício de associar contextos artísticos e institucionais muito diferentes. Du Don de Soi emerge do triângulo criado pela CNB, o festival Temp's d'Images e o coreógrafo Paulo Ribeiro, a quem coube o desafio de criar uma dança inspirada na obra do realizador Andrei Tarkovsky.

O coreógrafo fez um trabalho lindíssimo, marcado pela sua assinatura inconfundível mas também iluminado pela viagem a um território desconhecido, que adicionou, à sua identidade profissional madura, algo novo e muito atraente. A companhia ficou com a obra-prima e deu aos 32 bailarinos o exercício de uma linguagem versátil, porventura desestabilizadora, que convoca os diferentes talentos da dança mais formal e acrobática, da dança mais visceral e orgânica, da dança improvisada ou mais ritualista. O festival, por seu lado, inaugurou com uma das melhores peças do ano.

Texto Paula Varanda
Fotografia Daniel Rocha

Público · 05/11/2011
p. 12



 
«CORPOS A CAMINHO DO ABISMO»

2011-10-28



Abriu ontem a temporada da Companhia Nacional de Bailado e é uma das melhores peças feitas para a companhia. O mergulho que Paulo Ribeiro fez no universo do realizador Andrei Tarkovsky é um desafio apaixonante e surpreendente.

Em «Du Don de Soi» os corpos dos 36 bailarinos vão invadindo um palco encoberto em sombras e encontrando, no chão, os vestidos que carregarão ao longo de toda a peça.


Texto Tiago Barlomeu Costa
Fotografias Daniel Rocha

Público Ípsilon · 28/10/2011
p. 24


 
Páginas:
Notícias por categoria:
Imprensa (111)
Televisão (24)
Revistas de Dança (5)
Rádio (14)
Blogs (2)
Críticas (8)
Jornais Digitais (50)
Outros (3)
Todas (207)
Consultar Arquivo